Ter-burg , A palavra GLAM pintada com uma fonte luminosa, em Esino Lario, na Wikimania 2016. CC BY-SA 4.0 [+]

Do Metropolitan, 375.000 janelas para a história da arte e isto é apenas o começo

Richard Knipel, Wikimedista em residência no Metropolitan Museum of Art em Nova York [também conhecido como Metropolitan ou Met], analisa os esforços realizados e os planos para apoiar ainda mais a colaboração entre o museu e o movimento Wikimedia.

Há seis meses, comecei meu trabalho como Wikimedista em residência noMetropolitan Museum of Art. No lançamento da iniciativa e da política de acesso aberto do Met em fevereiro de 2017, começamos com um objetivo simples, masaudacioso: fazer o upload de 375.000 imagens de obras de arte em domínio públicono Wikimedia Commons, o repositório de mídia livre, e integrar estas imagens ao universo e às comunidades Wikimedia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lembro-me deste imenso escopo todos os dias: quando ando pelas galerias do museu, que abrigam 5.000 anos de história da arte, ou quando pego um elevador que fica entre salas adjacentes dedicadas à Roma Antiga e à Oceania. Todas estas obras históricas em domínio público, a grande maioria deste museu enciclopédico, fazem parte do nosso projeto.

Como um nova-iorquino de longa data que teve o prazer e a experiência construtiva de crescer com este museu e que ficou fascinado desde os primeiros dias de GLAM de 2009 pela possibilidade de compartilhar seu conteúdo no Wikimedia Commons, a abertura desta coleção e a oportunidade de fazer parte do processo significaram muito para mim.

À medida que o tempo passou neste ano, com mais de 300.000 arquivos carregados, posso apreciar melhor a escala e a complexidade tanto do objetivo original, como da necessária construção de pontes que vai além dele.

Por exemplo, não existe uma forma padrão de carregar grandes lotes de imagens no Commons. Depois de experimentar várias opções, cada uma delas valiosas, mas imperfeitas à sua maneira, a ferramenta que escolhi para a tarefa foi o GWToolset, que é capaz de converter de forma relativamente fácil os metadados CSV do projeto de acesso aberto do Met, fornecendo categorias relevantes e descrições para os campos no template de informações no Commons. Ao mesmo tempo, buscamos expandir a gama de obras de arte do Met disponíveis com itens distintos doWikidata, adicionando e importando dados para todos os destaques da coleção dosite do museu, incluindo os trabalhos que não são pinturas e as obras tridimensionais que muitas vezes não estavam lá. Tudo isso contou com a imensa assistência dos apoiadores do WikiProjeto Sum of All Paintings [Soma de Todas as Pinturas, tradução livre], que tem sido ativo na criação de itens no Wikidata para pinturas de todos os museus e agora está nos ajudando com o projeto do Met em todos os gêneros de obras de arte.

Do lado da Wikipédia, renovamos e desenvolvemos o WikiProjeto Met para o museu,fizemos um recenseamento dos artigos existentes sobre as obras de arte (muitos dos quais não estavam categorizados ou não estavam associados ao WikiProjeto) e começamos a relatar uma explosão espontânea de novos artigos inspirados nosprimeiros uploads de imagens em fevereiro.

Descobri que uma imagem de alta qualidade compatível com Wikimedia é um forte impulso para iniciar ou melhorar um artigo sobre uma obra de arte, tornando o textomais significativo e apreciado. Trabalhamos com curadores que ajudaram a selecionar artigos sobre obras de arte, inclusive com o Departamento de Armas e Armaduras do Met para iniciar a página sobre a Armadura de Fernando I do Sacro Império Romano-Germânico, um dos poucos artigos sobre armaduras históricas. O assunto recebeu algum interesse como um gênero subdesenvolvido de trabalho na Wikipédia e foi relacionado a uma série de novos artigos escritos no âmbito doWikiProjeto Fashion [Moda].

Além dos esforços espontâneos motivados pela disponibilidade de novas imagens, também incentivamos os editores a contribuir de forma estruturada. No próprio museu, uma maratona de edição foi realizada na Biblioteca Thomas J. Watson, um dos projetos Wikimedia pioneiros no Met, anterior à iniciativa de acesso aberto. Os participantes deste evento se beneficiaram grandemente da experiência de bibliotecário presente.

Uma força das maratonas de edição e dos projeto Wikimedia no Met tem sido geralmente a capacidade de desenvolver a colaboração interdisciplinar entre os departamentos de Educação Digital e de Bibliotecas do museu, todos contribuindo de forma verdadeira enciclopédica. Um resultado de destaque da maratona de ediçãoda biblioteca Thomas J. Watson foi o artigo Hiawatha e Minehaha, um par de bustos de Edmonia Lewis, desenvolvido pela artista Heather Hart do projeto Black Lunch Table. Você pode ler um relato de um bibliotecário do Met sobre a maratona de edição em um texto no blog Met Libraries’ In Circulation por William Blueher.

Ao mesmo tempo, globalmente, foi realizado on-line o Desafio de Obras de Arte da iniciativa de acesso aberto do Metque encorajou contribuições no Commons, noWikidata e na Wikipédia em vários idiomas, modelada com base no DesafioUNESCO. Em uma dúzia de línguas, do albanês ao ucraniano, artigos foram traduzidos ou escritos a partir do zero e ainda mais línguas tiveram imagens adicionadas para ilustrar seus assuntos. A vencedora do primeiro lugar, Marisa Lobato Roig, completou muitas traduções para o espanhol e outras línguas, incluindo a de uma Anunciação de Petrus Christus. Também on-line, foi realizadauma maratona de edição com o WikiProjeto Women in Red [Mulheres em Vermelho, tradução livre], focada em trabalhos de artistas mulheres na coleção do museu, incluindo uma série de artigos inteiramente novos, como o Retrato de Charlotte du Val d’Ognes.

Para facilitar a maratona de edição do museu e o desafio global, buscamos desenvolver novas ferramentas baseadas no Wikidata para ajudar na criação de novos esboços de artigos. O template Mbabel (“Museu de Babel”) foi desenvolvido para gerar automaticamente um esboço básico de artigo e uma infocaixa para qualquer obra de arte no Met ou em outro lugar, que seriam então mais bemdesenvolvidos antes da publicação. Esta funcionalidade do Wikidata para a infocaixade obras de arte está sendo melhorada e universalizada na Wikipédia em inglês com um protótipo de Mike Peel.

Nos próximos seis meses, estamos ansiosos para aprofundar e regularizar as relaçõesentre a comunidade e os museus, promovendo mais campanhas on-line e off-line,ferramentas tecnológicas e colaborações, além de encaminhar o múltiplo objetivo de trabalhar para “Wiki-ficar o Met e Met-ificar a Wiki”.


Richard Knipel é Wikimedista em residência no Metropolitan Museum of Art emNova York.

Imagem: The Annunciation MET DT1479.jpg, por Metropolitan Museum of Art, CC0, via Wikimedia Commons.

Este texto foi originalmente publicado no blog da Wikimedia Foundation em 25 de julho de 2017. Publicado em português no Blog Traço de Ciência.

Wiki
<ref "wmbr1259">João Alexandre Peschanski (20 de agosto de 2017). [http://wp.me/p5zA2r-kj Do Metropolitan, 375.000 janelas para a história da arte e isto é apenas o começo] Wikimedia no Brasil. Visitado em 21 de setembro de 2017 </ref>
ABNT
Do Metropolitan, 375.000 janelas para a história da arte e isto é apenas o começo. In: Website Wikimedia no Brasil. São Paulo: Wikimedia no Brasil, 2017. Disponível em: <http://wp.me/p5zA2r-kj>. Acesso em: 21 set. 2017.

Seu e-mail (obrigatório)

Erro encontrado neste post

  • Do Metropolitan, 375.000 janelas para a história da arte e isto é apenas o começo é um artigo sobre arte, Blog Wikimedia, GLAM
  • Richard Knipel, Wikimedista em residência no Metropolitan Museum of Art em Nova York [também conhecido como Metropolitan ou Met], analisa os esforços realizados e os planos para apoiar ainda mais a colaboração entre o museu e o movimento Wikimedia. Há seis meses, comecei meu trabalho como Wikimedista em residência noMetropolitan Museum of Art. No lançamento da iniciativa e […]
  • arte, Blog Wikimedia, GLAM
  • Comunidade
  • Wikimedia no Brasil
  • http://wikimedianobrasil.org/wp/wp-content/uploads/2016/09/GLAM_lightpainting.jpg