Ter-burg , A palavra GLAM pintada com uma fonte luminosa, em Esino Lario, na Wikimania 2016. CC BY-SA 4.0 [+]

Por que você deveria estar prestando atenção ao Wikidata e ao GLAM

Por Alex Stinson, Wikimedia Foundation, Sandra Fauconnier, Susanna Ånäs, Wikimedia Finland, Liam Wyatt, Europeana, Jane Darnell, TED
Tradução por Luna Fontes Maldonado

Quase todo o lugar para o qual se virava na Wikimania 2016 em Esino Lario, o encontro anual da comunidade da Wikipédia, podia-se ouvir sobre os dados estruturados na nova comunidade Wikimedia, o Wikidata.

O Wikidata abre quinze anos de coleção e curadoria de dados feita por voluntários para criar uma base de dados independente de idioma, interligada, aberta e estruturada que pode ser usada tanto por pessoas quanto por computadores. O Wikidata permite que as comunidades de voluntários libertem a verdadeira colaboração multilíngue e global da Wikipédia de forma que possamos classificar e descrever temas tão diversos quanto comida, pinturas e medicina para toda uma comunidade global, não só para um idioma ou região particular.

O Wikidata atende mais do que a relação entre as Wikipédias e as comunidades de diferentes idiomas que são atendidas. O Wikidata pode conectar outras bases de dados e coleções de informação, permitindo a computadores e software ver as conexões entre centenas de fontes de dados. Várias apresentações no Wikimania focaram nesses benefícios que o Wikidata pode trazer para nossas parcerias com organizações de patrimônio cultural.

Os dados estruturados por meio do Wikidata nos permitem colaborar com GLAMs em uma escala que jamais poderíamos ter imaginado antes, apoiando-se em quase uma década de experiência com centenas de parcerias ativas como parte do programa GLAM-Wiki, nosso envolvimento com galerias, bibliotecas, arquivos e museus (Galleries, Libraries, Archives and Museums, ou GLAMs, em inglês) e outras comunidades que preservam nossos patrimônios mundiais por meio de projetos como o Wiki Loves Monuments e Wikipedistas-em-residência na UNESCO.

A curadoria de metadados na GLAMs

A melhor forma de coletar e acompanhar uma coleção de objetos de patrimônios culturais é descrever esses materiais com informação estruturada, chamada de metadado. GLAMs usam vários padrões diferentes para coletar esses dados por que isso faz com que o uso e busca dessas coleções seja mais fácil no seu contexto local.

Com a internet, o acesso a essas coleções de dados pode acontecer no mundo todo. GLAMs perceberam que suas coleções se tornam mais úteis e reutilizáveis quando elas estão intensamente ligadas com outras coleções ao redor do mundo. A criação de dados estruturados para suas coleções aumenta o impacto no público.

Este esforço é encabeçado por organizações que centralizam e agregam coleções de dados, como Europeana, DPLA e Trove. Mas o Wikidata preenche uma lacuna nessa atividade: voluntários podem conectar objetos com qualquer uma das coleções ao redor do mundo em um contexto ainda mais amplo e global, integrando novas peças de informação com a Wikipédia e outras plataformas de pesquisa.

E se coletássemos todas as pinturas?

A comunidade GLAM está entusiasmada porque o Wikidata pode se tornar a base de dados que cobre todo o patrimônio cultural mundial — conectando com o material encontrado nas páginas de instituições para criar um único registro compartilhado que pode ser pesquisado em um único lugar enquanto se beneficia das especialidades de cada organização.

A maior parte dos GLAMs não tem uma equipe suficiente para garantir que haja metadados o bastante para todos os itens nas suas próprias coleções devido à crescente pressão nos financiamentos públicos. Isso reduz o tempo de pesquisa de informação sobre os artistas, escritores e outros criadores. A maioria das principais instituições possui trabalhos de centenas, se não milhares de artistas. O Wikidata nos permite conectar todas as bases de dados que falam sobre cada autor, permitindo que as instituições se beneficiem da pesquisa feita por outras organizações de patrimônio cultural e páginas web.

Imagine um único catálogo contendo todas as pinturas do mundo! Pessoas apaixonadas pela arte, de especialistas a estudantes de história da arte a pessoas tentando planejar sua próxima viagem a um museu poderiam decidir qual o melhor museu de seu interesse, começar conversas com especialistas de museus que se importam, e aprender sobre objetos que nunca veriam em uma exibição. Nossos voluntários da Wikimedia já começaram a trabalhar em direção a esse objetivo: ele se chama “WikiProject Sum of All Paitings”.

Através dele, editores de projetos como Maarten Dammers, um dos líderes, estão trabalhando com coleções de arte ao redor do mundo para torná-las mais acessíveis. Para Maarten, o objetivo é “conseguir um item para cada pintura notável”.

O time da Sum of All Paintings já terminou dezenas de catálogos de coleções ao redor do mundo – da Galeria Nacional Finlandesa ao Museu Metropolitano de Arte à Galeria de Arte da Nova Gales do Sul na Austrália. Recentemente isso incluiu um projeto liderado por Sandra Fauconnier, da Bélgica. Com a ajuda de voluntários como Dammers, ela trabalhou com oito importantes museus de arte e coleções flamengas para sincronizar suas coleções de arte inteiras com o Wikidata. Eles tiveram um imenso sucesso: o projeto conecta toda a rede de museus da Bélgica a dados de arte de todo o mundo, fazendo desta comunidade um estudo de caso pioneiro em como nós construímos nosso crescente catálogo global.

O mesmo time tem a ambição de ligar cada pintura notável a seu criador e sua coleção. Pinturas notáveis em coleções privadas são adicionadas ao Wikidata com base em artigos existentes sobre essas pinturas, uploads no Wikimedia Commons de notáveis casas de leilão, e trabalhos feitos nos catálogos dos artistas. Em perspectiva, cerca de cem anos atrás um historiador de arte decidiu atualizar a catalogação feita por um historiador do século XIX sobre pintores do século XVII. Jane Darnell, por sua vez,começou a atualizar esse trabalho no Wikidata em 2016.

Uma vez que o catálogo dos artistas e as coleções de arte entram no Wikidata, elas se tornam parte de um contexto muito maior. Com uma simples busca no Wikidata, pode-se encontrar padrões e informação sobre grupos de pinturas por artista e coleções que, de outra forma, não seria possível. De acordo com Fauconnier, “nós agora podemos mapear onde as pinturas estão no mundo (veja a imagem acima), ou criar visualizações que indicam padrões sobre o que os trabalhos artísticos representam, ou mesmo criar catálogos completos para artistas individuais, com apenas algumas linhas de código”.

Se os museus ou outras organizações querem melhorar a pesquisa contextual sobre esses trabalhos, com algumas poucas linhas de código, nós podemos organizar uma competição que chama os pesquisadores para fazer exatamente isso. Neste ano, a Europeana mobilizou uma competição como essa para as 280 obras de arte no projeto Europeana 280, que trabalhou na descrição de dez obras de arte de cada um dos 28 países da União Europeia em quase todos seus idiomas oficiais.

Para os menos orientados tecnicamente, a comunidade GLAM agora pode oferecer aplicações web que utilizam esses dados, permitindo um filtro rápido por conjuntos de materiais à medida que eles se tornam disponíveis. Desenvolvedor voluntário e tecnólogo de história da arte Benoît Deshayes desenvolveu um aplicativo de catálogo universal como prova de conceito chamado Crotos. Com o Crotos, quase qualquer um pode se beneficiar do trabalho sendo feito pelos voluntários do Sum of All Paintings, explorando mais de 40.000 pinturas e 14.000 outros tipos de arte nas coleções. De repente, os museus de arte do mundo estão nas suas mãos sem custo algum e sem barreiras!

Para além das coleções tradicionais do GLAM

As culturas humanas continuamente dão forma ao mundo ao seu redor, e nós expressamos essas relações através da música, arte, dança, jogos e um número de outras formas; cada uma delas uma forma diferente de se relacionar com o mundo e de compartilhar seu patrimônio. A Comunidade da Wikimedia está constantemente trabalhando para compartilhar esse conhecimento e preservar esse vasto patrimônio – não só o que está contido nos museus e arquivos mas sob o muito mais vasto escopodefinido pela UNESCO.

Encabeçados pelas equipes que criaram o Wiki Loves Monuments (uma competição de fotografia para tirar fotos de todos os monumentos do mundo) e a Wikimedia Suécia, a comunidade do Connected Open Heritage está reunindo ferramentas que permitem que patrimônios culturais além das coleções dos museus entrem no Wikidata e enriqueçam suas próprias organizações. Ao conectar não apenas os itens raros dos museus mas também a miríade de outras formas de patrimônio, nós podemos criar um catálogo unificado de nossa memória cultural.

A comunidade Wikimedia já está trabalhando ativamente para iniciar o processo de integração de dados. Veja, por exemplo, a recente parceria com a UNESCO, liderada pelo Wikipedista-em-residência John Cummings. Como parte do projeto, a UNESCO está pedindo aos wikimedistas para melhorarem os dados e descrição dos sítios de patrimônio natural que são listados como reservas da biosfera. Integrar desses sítios protegidos ao Wikidata nos permite descobrir quais deles não foram cobertos na Wikipédia em inglês ou em outros idiomas e compartilhá-los com o público. Sem essa visibilidade e oportunidade de aprender sobre este programa de preservação, esses sítios naturais poderiam ser ignorado pela comunidade.

De madeira similar, as palestras TED inspiram pessoas por todo o mundo a expandir suas mentes e mudar suas perspectivas do mundo. Uma recente parceria com a TED Conferences, uma organização que contratou dois Wikipedistas-em-residência, usou o Wikidata para ter certeza de que os palestrantes do TED Talks estivessem cobertos na Wikipédia. Ao conectar palestrantes TED com o Wikidata, nós podemos começar a analisar como esses palestrantes inspiradores estão conectados com o mundo maior do empreendedorismo, filantropia, ciência e outras partes da nossa cultura. Igualmente, a TED pode enriquecer seus própios dados aos os associar ao Wikidata. Por exemplo, eles podem ajustar a conjugação verbal nas breves biografias de seus palestrantes TED quando é indicado que um de seus palestrantes é considerado morto no Wikidata. Um recente desafio de escrita resultou em mais de 500 artigos nos projetos da Wikipédia sendo enriquecidos por fotos de palestrantes TED.

Esses registros podem voltar e alimentar as bases de dados das organizações de patrimônio cultural também. Yle, a emissora pública nacional da Finlândia, começou a usar essa rede de conceitos do Wikidata para identificar suas transmissões em seu arquivo digital. Ao conectar suas produções com o Wikidata eles não apenas identificam seus trabalhos, tornando sua busca mais fácil, mas também os conectam com o corpo de conhecimento vasto e multilíngue criado na Wikipédia e no Wikidata. Como resultado, a Yle, está ativamente aumentando seus esforços como profissionais culturais e integrando melhoramentos no Wikidata em suas atividades diárias como editores, abrindo seu conhecimento para a próxima organização.

O que vem por ai?

Na Wikipedia em inglês, há um ensaio que descreve como a comunidade global temuma data limite para coletar a informação no mundo, pois esse patrimônio pode ser perdido por conta de guerras, desastres, extinções ou um número de acontecimentos imprevisíveis. O Wikidata tem a oportunidade de ajudar a conectar os materiais que mais precisam ser conhecidos, preservados e documentados. Profissionais da GLAM têm habilmente coletado e pesquisado grande parte desse patrimônio cultural global. Agora é tempo de unir esses esforços e criar um lugar onde pinturas, reservas ecológicas, ideias inspiradoras, e cada pedaço de nossa cultura possa ser conectado em uma única rede.

Como um projeto colaborativo, o Wikidata está a procura de mais parceiros paracompletar bancos de dados. Cada uma das iniciativas dos autores precisa de ajuda paracombinar dados de importantes coleções às entradas existentes no Wikidata ou para auxiliar a comunidade Connected Open Heritage (Patrimônio Aberto e Conectado, em inglês) a priorizar a próxima fonte de dados culturais a ser alvo de melhorias. Com tanto potencial, é a sua vez de se envolver!

Para saber mais ou encontrar formas de se envolver com esta iniciativa, siga @glamwiki no Twitter ou acesse GLAM-Wiki e WikiData + GLAM no Facebook.


Texto publicado originalmente no blog da Wikimedia Foundation. Tradução do Blog Traço de Ciência.

Wiki
<ref "wmbr1003">João Alexandre Peschanski (29 de setembro de 2016). [http://wp.me/p5zA2r-gb Por que você deveria estar prestando atenção ao Wikidata e ao GLAM] Wikimedia no Brasil. Visitado em 24 de abril de 2017 </ref>
ABNT
Por que você deveria estar prestando atenção ao Wikidata e ao GLAM. In: Website Wikimedia no Brasil. São Paulo: Wikimedia no Brasil, 2017. Disponível em: <http://wp.me/p5zA2r-gb>. Acesso em: 24 abr. 2017.

Seu e-mail (obrigatório)

Erro encontrado neste post

  • Por que você deveria estar prestando atenção ao Wikidata e ao GLAM é um artigo sobre GLAM, Wikidata
  • Por Alex Stinson, Wikimedia Foundation, Sandra Fauconnier, Susanna Ånäs, Wikimedia Finland, Liam Wyatt, Europeana, Jane Darnell, TED Tradução por Luna Fontes Maldonado Quase todo o lugar para o qual se virava na Wikimania 2016 em Esino Lario, o encontro anual da comunidade da Wikipédia, podia-se ouvir sobre os dados estruturados na nova comunidade Wikimedia, o […]
  • GLAM, Wikidata
  • Projetos
  • Wikimedia no Brasil
  • http://wikimedianobrasil.org/wp/wp-content/uploads/2016/09/GLAM_lightpainting.jpg